sexta-feira, 29 de maio de 2009

Quanto mais penso no futuro, mais certeza tenho de que o passado é um lugar seguro.
Minha capacidade de ficar sozinha por muito tempo me torna cada vez mais distante de mim, e das pessoas que eu amo. Quanto mais tempo passo comigo, mais me afasto de mim.
Não é individualismo, nem egoísmo, é uma condição do espírito. Uma exclusão necessária das coisas e das pessoas que eu dependo, pelo menos por um tempo.
Não tenho a força de uma grande mulher, e não sei o que quero de verdade.
E tenho medo de ficar só.

E tenho cada vez mais certeza de que eu sou um paradoxo... irônico, sarcástico, estranho.
Um paradoxo infeliz.

"Eu tenho medo de cobras,
Já tive medo do escuro...
Tenho medo de te perder."

2 comentários:

Anne disse...

existe diferença entre ser e estar.
você pode querer e ate ficar sozinha as vezes, mas não quer dizer que seja uma pessoa solitaria,e como é bom saber disso né? de que mesmo estando sozinho as vezes sempre teremos companhia e apoio.
bjs linda, vc escreve muito bem

PS: nem sempre comento seus posts,mas leio todos

Alé wind disse...

olha vc não tah sozinha não viu!
qnd precisar eh soh passar lah em casa!rsrs
conta comigo!